Capítulo 8

Capítulo 8 - Aqueles que Amam



-Você tem certeza disso? - perguntou Pietro, enquanto caminhava ao lado de Enzo pelos corredores do Palácio Shopping Center - Você pode ter imaginado...
- Você esta me chamando de doido? - respondeu Enzo, indignado.
- Não! Desculpa Enzo, mas é que isso é muito sério! - disse Pietro - Você poderia ter morrido! Eu nem acredito que isso tenha acontecido! E como se já não fosse ruim o suficiente, você ainda me diz que o Lucas deliberadamente te deixou se afogar?!
- Eu sei! Eu também não acredito nisso! Eu nunca fiz nenhum mal para ele! Eu não sei o porquê disso e não sei o que fazer com essa informação! Mas eu tenho certeza do que eu vi Pietro!
- Tudo bem amigo, eu acredito em você! O que o Daniel disse sobre isso?
- Eu não contei para ele... para não estragar o fim de semana, sabe? Ele estava tão feliz! Mas eu vou conversar amanhã com ele.
- Eu imagino o porquê da felicidade! Vocês estão noivos! Isso é tão bom Enzo! Fico muito feliz por vocês!
- Obrigado Pietro! Eu queria que você estivesse lá conosco, mas não foi nada premeditado! Você é um dos primeiros a saber, depois dos meus pais, eu juro!
- Tudo bem - respondeu Pietro rindo - Contanto que eu não seja o último a saber! E você já falou com o Guilherme?
- Não, eu vou falar agora! Espero que você não tenha comentado nada!
- É claro que não! - respondeu Pietro - Eu deixei a tarefa para você, já que você vinha comigo.
- Sim! Muito obrigado por me convidar para o cinema, eu estava precisando sair de casa!
- Claro! Bem, na verdade era para ser um encontro de casal, mas o Daniel não pode vir... espero que não fique desconfortável por "segurar vela" - disse Pietro rindo.
- Bom, eu acho que não... - respondeu Enzo - Na verdade eu nem ligo de "segurar vela", só acho um pouco estranho ir ao cinema com meu ex-namorado e meu amigo, que já se declarou pra mim! - finalizou ele rindo.
- Nossa, quando você diz isso dessa forma, parece realmente bastante estranho!
- Eu sei, mas agora vocês dois são o meu casal de melhores amigos! Vamos logo encontrar o Gui, porque ele já deve estar impaciente!
- A culpa é sua por demorar tanto naquela loja!
- Bem, a culpa não é minha se eu preciso de ajuda para experimentar calças! Eu vou dizer isso para ele e aposto que não vou ouvir qualquer reclamação! - disse Enzo, rindo.
- Isso é golpe baixo! - respondeu Pietro, também rindo.

Naquela terça-feira, Pietro e Guilherme esperavam que Enzo e Daniel pudessem acompanhá-los ao cinema. Porém, Daniel estava tendo uma semana muito complicada na universidade. Desse modo, naquela noite seriam apenas os três amigos indo ao cinema. Enzo e Pietro foram mais cedo para o Palácio Shopping, já que Enzo precisava de ajuda para escolher algumas peças de roupa e Pietro não teria aula no período da tarde. No início da noite, eles encontraram Guilherme na praça de alimentação, o qual já estava, como esperado, impaciente pelo atraso de mais de meia hora.
A sessão para a qual haviam comprado ingresso começava bem mais tarde, então os três tiveram muito tempo para conversar sobre diversos assuntos, incluindo o que havia acontecido com Enzo durante o final se semana.

- Como você conseguiu ficar o resto do fim de semana sem falar nada sobre isso para o seu namorado?! - perguntou Guilherme, depois de ouvir o que Enzo contara.
- O que poderia fazer? - disse Enzo, incerto - Eu não tenho provas e eu não queria estragar o nosso fim de semana. O domingo não foi tão ruim, embora eu tenha evitado a piscina qualquer custo! Nós brincamos com jogos de tabuleiro a maior parte do dia e voltamos na segunda-feira cedo para cá. Eu troquei poucas palavras com o Lucas, então não foi tão difícil. Hoje, durante a sessão de Terapia Ocupacional, eu também nem precise manter qualquer tipo de contato com ele, já que ele não é mais meu terapeuta.
- Enzo! Não seja bobo! - disse Guilherme, visivelmente agitado - Isso é muito sério! Só de pensar que você poderia ter... Eu quero quebrar a cara desse Lucas! Você deveria ter contado para o Daniel! Ele não iria duvidar de você! E se ele ousasse duvidar, ele seria um idiota!
- Mas então você acredita em mim? - Enzo estava realmente surpreso.
- É claro Enzo! Não esqueça que namoramos por um bom tempo! Você é controlado demais para verbalizar isso sem ter muita certeza de que é verdade! Se você tivesse o mínimo de dúvida, eu duvido que você fosse contar isso a outra pessoa!
- Isso é verdade! Eu fico feliz de saber que você ainda me conhece tão bem - Enzo se moveu em direção à cadeira de Guilherme e abraçou o ex-namorado.
- Eu acho que vou comprar um refrigerante... - disse Pietro, enquanto se levantava e caminhava rapidamente para longe da mesa.
- Espera amigo, eu vou com você! - disse Enzo, mas Pietro já estava longe - Nossa, ele nem esperou... Será que ele está bem?
- Ele está bem... - disse Guilherme - Eu acho que ele... sente um pouco de ciúmes do quão bem eu te conheço, mas não há nada que eu possa fazer sobre isso... Eu vou conversar com ele! Eu já volto Enzo!
- Tudo bem... - Enzo ficou confuso com a situação, pois não imaginava que Pietro tivesse ciúmes da relação entre ele e Guilherme. Quando pensou bem no assunto, até que fazia sentido, já que Guilherme e ele continuavam muito próximos, mesmo depois de tanto tempo decorrido desde que haviam namorado. Porém, esses pensamentos foram interrompidos pela chegada de outra pessoa na mesa onde Enzo estava sentado.
- Oi Enzo! - disse Lucas, aproximando-se do rapaz - Que coincidência te encontrar aqui pelo shopping!
- É... - respondeu Enzo, um pouco atordoado, visto que, depois do ocorrido, não tinha interagido ativamente com Lucas - Eu vim fazer algumas compras...
- Está tudo bem? Você parece um pouco abatido.
- Sim! Tudo bem... Bom, não exatamente, na verdade... Escuta, você tem um segundo? - Enzo indicou o assento para Lucas.
- Claro! - disse Lucas, sentando-se - O que foi?
- Olha, eu não deveria fazer isso, mas eu não importo com o que você vai pensar de mim ou se você vai admitir ou não... - começou Enzo.
- Como assim Enzo? Eu não entendo...
- Olha, eu sei o que aconteceu na piscina! - disse Enzo, finalmente - Eu sei que você ficou me olhando, sem fazer nada, por vários segundos, enquanto eu me afogava na piscina! E aí?
- Enzo... - respondeu Lucas, com uma expressão triste - Eu não sei o que dizer... eu achei que você não tivesse visto...
- O que?! - exclamou Enzo, em tom de voz levemente alterado - Então você admite!!
- Sim... - respondeu Lucas com a expressão inalterada - Eu não me orgulho disso Enzo! Foi um momento de fraqueza! Eu acho que estava com ciúmes... eu não sei! Eu te peço desculpas por isso!
- Lucas... eu nem sei o que pensar... - disse Enzo, em tom de voz mais calmo - A minha vida já tem sido complicada demais sem alguém que meio que tentou me matar... olha, eu não posso lidar com isso agora...
- Tudo bem Enzo? - disse Pietro, que acabara de chegar na companhia de Guilherme - Oi Lucas...
- Oi Pietro... pelo visto ele já sabe né? - perguntou Lucas para Enzo.
- Sim Lucas e não está muito satisfeito com a notícia... - respondeu Enzo.
- Bem, então eu acho que é melhor eu ir...
- Eu concordo - intrometeu-se Guilherme - E também acho que você deveria ficar bem longe do meu amigo!
- Calma Gui, eles já está indo embora! - disse Enzo, apaziguando - Não é Lucas?
- Claro... Desculpa pelo que houve Enzo!

Assim, Lucas se retirou. Os três rapazes não tiveram tempo para discutir o que acontecera, visto que a sessão para a qual haviam comprado ingresso começava em poucos minutos. Porém, depois da sessão, o assunto veio a tona.

- Ele simplesmente admitiu?! - disse Pietro - Sinceramente, eu não sei se eu acho isso bom ou ruim!
- Exatamente! Eu também não sei o que pensar! - disse Enzo - Eu... nossa, ele parecia genuinamente arrependido...
- Cuidado Enzo! - disse Guilherme - Ele pode estar fingindo! Não o perdoe assim tão fácil! Eu sei que você é uma pessoa muito boa, mas precisa fingir que não é nesse caso, pois não sabemos os porquês desse cara! Já foi muito estranho o modo como ele entrou na sua vida... depois ele foi convidado para uma viagem que tão reservada essa... e, pra fechar com chave de ouro, ele confessadamente te deixou se afogar! Isso não soa como alguém que você quer perdoar tão fácil ou mesmo ter por perto!
- Ele tem razão! - concordou Pietro - O Lucas é muito estranho e você deveria ter cuidado!
- Eu prometo que vou ter cuidado gente! Obrigado pela preocupação! - respondeu Enzo - Mas mudando de assunto, está tudo bem entre a gente?
- Como assim? - perguntou Pietro.
- Bem, eu não sei... eu senti um atrito mais cedo e queria esclarecer as coisas...
- Ah sim... - respondeu Pietro, corando - Eu agi como bobo amigo, eu peço mil desculpas! Mas vocês dois tem tanto em comum, que às vezes eu me sinto deslocado!
- Eu entendo! Se eu estivesse no seu lugar, eu também acharia tudo muito irritante! Principalmente, o Gui! - finalizou Enzo, rindo.
- Ei! Eu sou o sedutor lembra? - protestou Guilherme - O irritante é você!
- Você é o que?! - exclamou Pietro.
- Sedutor aposentado, foi isso que eu quis dizer! - corrigiu-se Guilherme, prontamente - Agora eu só seduzo uma pessoa: você!
- Essa foi por pouco! - disse Enzo, rindo novamente.
- Por pouco mesmo! - concordou Pietro.
- Ah, parem de se unir contra mim! - respondeu Guilherme - Assim a nossa relação não vai funcionar! - finalizou ele com uma expressão sedutora, caraterística.
- Como assim?! Até parece que estamos falando de um triângulo amoroso! - disse Pietro.
- Nem vem! Eu sou noivo!
- Eu não tenho ciúmes! - disse Guilherme, rindo.
- Mas eu tenho - respondeu Pietro, dando um leve tapa na nuca de Guilherme.
- O meu namorado também é ciumento Gui! - acrescentou Enzo - E, por falar em ser noivo, não esqueçam que amanhã teremos o jantar na minha casa para "oficializar" o meu noivado! Mesmo que, segundo o Seu Pedro, essa não seja a oficial de fato, pois ele insiste que façamos algo bem maior em algum outro momento! Amanhã teremos apenas os nossos pais e vocês!
- Eu fico muito feliz que você tenha nos convidado para um evento que parece tão íntimo! - disse Guilherme, abraçando o amigo - Muito obrigado Enzo!
- É claro! Vocês são como meus irmãos! Não poderia deixar de convidar vocês! Minha mãe concorda comigo!
- Ai, eu também estou lisonjeado! - disse Pietro - Além disso, só de pensar na comida da dona Maria já me faz salivar!
- Pois é! Então nem ouse faltar!
- Eu nem pensaria nisso!

No outro dia, os preparativos para o jantar na casa de Enzo começaram cedo. Os pais do rapaz haviam, surpreendentemente, sido muito receptivos à notícia, depois que Enzo explicou como aquilo funcionaria. Pedro, Maria e Roberto haviam conversado bastante no dia anterior sobre o tal jantar de comemoração e, como os noivos haviam expressado a vontade de fazer algo bastante reservado, ficara decidido que os pais de Enzo seriam os anfitriões e Maria faria algumas de suas especialidades culinárias. Pedro não se opôs à ideia, mas insistiu que Zuleica servisse o jantar, a fim de que Maria pudesse desfrutar do momento, sem preocupações. Assim, Maria estava desde cedo trabalhando no que seria servido à noite.
Enzo teve sessão na clínica de Fisioterapia de manhã, mas não teve muito que fazer à tarde. O pai estava trabalhando e, infelizmente, os amigos e o namorado teriam aulas o dia todo. Ele até tentou ajudar a mãe mas, como ele bem sabia, Maria ficava muito estressada e mandona quando estava cozinhando, então ele preferiu dormir. A sessão tinha sido bem trabalhosa, portanto cair no sono não foi tão difícil. Ele foi acordado por um suave, quente e reconfortante beijo na testa.

- Acorda Lindo! - disse Daniel, em tom de voz calmo e com um sorriso no rosto - A gente vai noivar, lembra?
- Como eu poderia esquecer?! Fui eu quem propus, lembra? - respondeu Enzo, rindo.
- Isso porque você roubou o meu momento! - replicou Daniel, apertando as bochechas do namorado.
- Você me conhece! - De repente, Enzo notara o modo como Daniel estava vestido - Amor! Você está deslumbrante! - Daniel vestia um traje social, com um paletó preto que lhe caia muito bem, uma calça preta bem ajustada ao seu corpo e uma gravata vermelha que realçava o tom claro da sua pele e combinava com a cor dos seus lábios. O seu cabelo preto, o qual estava ligeiramente longo, estava arrumado para trás, em um padrão que deixava os seus olhos azuis e o seu nariz de tamanho proporcional ao rosto em evidência.
- Obrigado amor! Eu queria ser "deslumbrante" pra você todos os dias, mas dá tanto trabalho! - disse ele rindo.
- Não foi isso que eu quis dizer! - defendeu-se Enzo - Eu digo que você é lindo todos os dias! Mas hoje você está... um verdadeiro príncipe!
- Nossa! Obrigado! - disse ele, corando - Você quer que eu vá pegar meu cavalo branco para te levar ao baile no castelo real? - Daniel gesticulava e falava. tal como nos filmes que havia assistido, nos quais haviam príncipes encantados.
- Sim, por favor! - respondeu Enzo em tom compatível - Enquanto isso, eu vou tomar banho e colocar os meus trajes adequados para ir a um baile real!
- Você é muito bobo mesmo! - Daniel se jogou na cama com Enzo e começou a beijar o namorado.
- Amor! Você vai se amarrotar todo! - exclamou Enzo - Sai! Eu não quero que você estrague o seu traje de príncipe! Além disso, eu realmente preciso tomar banho, porque se você já está aqui eu devo ter dormido muito!
- Não, relaxa! Eu que cheguei cedo mesmo!
- Bem, de qualquer forma eu preciso tomar banho! Me ajuda com a cadeira?
- Claro!

Enquanto Enzo tomava banho, Daniel conversava com Roberto, o qual havia chegado do trabalho há pouco tempo e estava fazendo sala para o rapaz. Maria estava finalizando os preparativos do jantar quando Zuleica chegou e assumiu a finalização do trabalho, enquanto Maria poderia se arrumar. Pouco tempo depois, Enzo estava pronto: vestia uma calça preta como Daniel, mas optou por um paletó com um padrão discreto de listas verticais e uma gravata azul. O cabelo preto ondulado de Enzo também estava ligeiramente longo e agora começava a formar cachos. A escolha da roupa favoreceu o tom de pele oliva e os olhos verdes do rapaz.

- Pai, obrigado por fazer companhia para o Daniel! - disse ele, aproximando-se do sofá onde Roberto estava sentado - Pode ir se arrumar, eu já estou pronto.
- Tudo bem filho, já está quase na hora dos convidados chegarem realmente - respondeu Roberto - Depois continuamos essa conversa Daniel.
- Tá certo, vá lá Seu Pedro! - respondeu Daniel. Então, dirigindo-se a Enzo, disse: - Ora, ora! Quem é o príncipe agora?
- Ai não começa! - respondeu Enzo, corando - Você sabe que eu não sei lidar com elogios!
- Eu sei! Mas não tem como eu deixar de reparar na sua beleza! Ela está irradiando de você e quase me cegando!
- Não seja dramático! - respondeu Enzo, rindo e revirando os olhos.
- Eu não sou dramático! Eu sou romântico!
- Eu sei! É por isso que eu te amo tanto! - disse Enzo. Então mudando o tom, continuou: - Amor, mudando de assunto, eu não sei se esse é o melhor momento, mas tem algo que eu preciso te contar!
- O que foi amor?! - respondeu Daniel, preocupado.
-Bem, é sobre o meu quase afogamento no fim de semana... algo que aconteceu durante eu estar na água... antes de eu desmaiar...
- Amor, você está me deixando preocupado! Tem algo de errado com você? Está sentindo alguma coisa?
- Não... Ai amor, eu não sei como te dizer isso... Bem, eu vou direto ao assunto! Quando eu estava na piscina, eu vi que a pessoa que estava na beira da piscina ficou parada por vários segundos sem tomar qualquer tipo de iniciativa enquanto eu estava me afogando... e você sabe quem estava comigo naquele dia...
- Espera, então você está me dizendo que o Lucas... ele não te ajudou?! - Daniel estava, visivelmente, alterado - Amor! Isso é muito sério! Eu...
- Eu juro que é verdade amor! - interrompeu Enzo - Acredita em mim!
- É claro que eu acredito em você! - disse Daniel, abraçando o namorado - Eu não duvidaria de algo tão sério! Por que você não me contou antes?! Já faz dias que isso aconteceu! Amor, espera aqui, eu preciso fazer algo sobre isso! - completou ele, puxando o celular do bolso.
- O que você vai fazer amor? - perguntou Enzo.
- Não se preocupe! Vai ficar tudo bem!

Daniel estava, aparentemente, escrevendo uma mensagem de texto e Enzo podia ver que o namorado estava bastante exaltado. Alguns minutos depois, o rapaz provavelmente enviou a mensagem e voltou a conversar com o futuro noivo.

- Desculpe, mas eu precisava falar algo para o Lucas! Isso não se faz com ninguém e, principalmente, com alguém como você que só ajudou ele desde que vocês se conheceram! Eu estou muito decepcionado com ele e eu quero te pedir desculpas amor, porque fui eu que convidei ele e, indiretamente, te causei esse problema! Eu sinto muito!
- Que nada amor! Você não tem culpa! O Lucas parece bem mais problemático do que eu pensava! Ele admitiu tudo ontem, quando eu o confrontei!

Enzo atualizara Daniel sobre a noite anterior, já que o rapaz não pudera ir. Decorrido algum tempo, Pietro e Guilherme chegaram. Logo em seguida, Pedro também chegou. Por fim, Roberto e Maria estavam prontos, o que completou a lista de pessoas que deveriam estar presentes naquele dia. Houve um breve momento de socialização na sala de estar, até que Zuleica avisou que estava tudo pronto para que o jantar fosse servido. Porém, bem no momento em que todos se dirigiam para a mesa de jantar, uma pedra atravessou a janela e parou próximo aos pés de Daniel. Todos, evidentemente, ficaram muito surpresos e espantados com o acontecido, mas Enzo notou que havia um pedaço de papel enrolado no objeto, então resolveu pegar a pedra do chão, tomando cuidado com os cacos de vidro provenientes da vidraça que fora quebrada.

- Vocês estão todos bem? - perguntou Roberto, muito agitado. Conforme todos indicaram que sim, o pai de Enzo correu para fora da casa, a fim de identificar o autor daquela ação, mas não viu nada além dos vizinhos que também tinham corrido para fora de suas casas. Então, voltando para a casa, disse: - Os vizinhos não viram muita coisa e não tinha ninguém lá fora quando eu saí! Algumas pessoas dizem que viram um carro preto acelerando para fora daqui, mas não foram muito específicos! O que tem nessa pedra afinal? Alguma ideia de quem tenha feito isso?
- Eu não sei quem foi - disse Enzo - Mas essa pessoa não está muito satisfeita com o nosso noivado! - então ele mostrou a Roberto o pedaço de papel que estava enrolado na pedra, no qual estava escrito "Vocês não foram feitos um para o outro"

As pessoas presentes na sala começaram a discutir sobre o que havia acontecido, incluindo a necessidade de ir até uma delegacia para notificar o ocorrido, Em meio a toda a discussão, Enzo e Daniel se olhavam e compartilhavam, silenciosamente, a mesma questão: quem tinha feito aquilo?


- E ninguém conseguiu anotar a placa do carro? - perguntou o responsável pela Delegacia Seccional de Polícia de Lagoa Boa, onde os presentes no jantar ocorrido na casa de Enzo estavam registrando um boletim de ocorrência.
- Não - respondeu Roberto - quando eu corri para ver o que havia acontecido, o carro não estava mais lá! Os meus vizinhos alegam que era um carro preto... um Corsa talvez... mas estava com a placa coberta. Infelizmente, tudo o que sabemos é a cor e, talvez, a marca do carro.
- Isso não é nada bom! - disse o delegado - Sem muitas informações, não há muito que possamos fazer para ajudar... mas eu prometo que faremos o melhor para tentar solucionar esse caso o mais breve possível!
- Bem, muito obrigado... - disse Pedro, visivelmente desapontado - Eu acho melhor nós irmos embora, pois eu tenho certeza que todos estão cansados e, como o delegado disse, não há muito que possa ser feito.
- Eu realmente estou muito cansada - disse Maria - E imagino que todos também estejam famintos, já que não tivemos nem chance de tocar no jantar!
- Quanto a isso, não se preocupem, pois eu faço questão de levá-los até um bom restaurante - disse Pedro - Não vamos deixar que esse vândalo, seja lá quem for, estrague a noite! Afinal, não vamos esquecer que estamos celebrando algo muito importante - Pedro se interpôs entre Enzo e Daniel, abraçando-os - A união deste casal, que já passou por muita coisa junto e que, com certeza, merecem um jantar de noivado descente!
- Obrigado pai! - disse Daniel - O que vocês acham? Ainda estão com disposição para isso?

Apesar do visível cansaço, todos concordaram em sair para tentar completar a celebração do noivado de Enzo e Daniel. Como esperado, Daniel escolheu o "Ristorante Giovanna", visto que o local tinha a melhor lasanha da cidade, na opinião do rapaz. O restaurante estava localizado na zona norte, o que ficava a 50 minutos de carro da casa de Enzo, por isso eles se dividiram em dois grupos: os pais de Enzo seguiram com Pedro, enquanto Pietro e Guilherme acompanharam os noivos.

- Eu tenho certeza que vocês vão adorar o restaurante - disse Daniel, animado - Prometo que vai valer a pena nós sairmos de Lagoa Boa até a zona norte.
- Eu já estive na zona norte, mas nunca ouvi falar desse restaurante - disse Guilherme - Mas eu também não sou particularmente aficionado por comida italiana.
- Isso é porque você nunca provou a comida do Ristorante Giovanna - respondeu Daniel - Eles têm a melhor comida italiana e, especificamente, a melhor lasanha da cidade!
- Se o Daniel está dizendo, é porque deve ser verdade Gui - intrometeu-se Enzo - Acredite em mim, ele gosta muuuito de comida italiana! Principalmente de lasanha! Estou até cogitando apelidar ele de "Garfield"!
- Gostei do apelido! - disse Pietro rindo.
- Nem pensem nisso! - retrucou Daniel.

O jantar de noivado finalmente foi concretizado no restaurante italiano preferido de Daniel e como ele previra, todos adoraram a comida. Depois disso, Pedro e Daniel fizeram questão de deixar todos os outros em suas respectivas casas. Enzo acompanhou o noivo enquanto este levava Guilherme e Pietro até a zona sul de São Patrício, onde ambos moravam. Na volta para Lagoa Boa, que ficava na zona leste, Enzo comentou:

- Amor, você acha foi o Lucas quem fez aquilo?
- Eu não sei... - disse Daniel, pensativo - depois do que você me disse, isso faria muito sentido, mas também não podemos tirar conclusões precipitadas!
- Eu sei, mas... Eu tenho medo do que essa pessoa, seja o Lucas ou não, possa fazer daqui pra frente! - disse Enzo, em tom bastante sério - Amor, eu duvido que alguém que tenha se disposto a ir até a Lagoa Boa para jogar uma pedra na janela da minha casa vá parar por aí! Nós precisamos tomar muito cuidado, principalmente porque essa pessoa não pode ser um completo estranho, já que ela sabe onde eu moro, o que quer dizer que ela pode nos abordar em outros locais que frequentamos! Toma cuidado na volta para casa, tudo bem?
- Tudo bem amor, eu prometo que vou ficar atento!

Quando Daniel, finalmente, deixou Enzo em casa, já passava de duas horas e as ruas estavam relativamente desertas, principalmente na zona leste da cidade. O rapaz se despediu brevemente do noivo e rumou para casa. Porém, no caminho notou que há alguns quarteirões um carro estava seguindo a mesma rota que ele. Levando em consideração o alerta de Enzo, ele parou no meio-fio, na esperança de que ele estivesse apenas paranoico e de que o outro carro fosse seguir em frente. Felizmente, aconteceu o que ele esperava e, sentindo-se bobo por ter pensado que estava sendo seguido, ele continuou o caminho para casa.
No dia seguinte, Guilherme acompanhou Enzo até a consulta na Clínica de Reabilitação da UFTU. Enzo não viu Lucas durante a consulta e, quando indagou sobre ele para os outros estagiários, estes não souberam informar o motivo da ausência do rapaz. Depois da sessão, Enzo seguiu com Guilherme para a Snacks.

- Por que você estava perguntando sobre o Lucas hoje? - perguntou Guilherme.
- Eu preciso esclarecer ainda mais as coisas com o Lucas Gui! - respondeu Enzo - Eu estou em dúvida se ele é uma ameaça ou apenas alguém muito confuso!
- Bem, eu acho que você tem razão... Mas só uma pessoa muito boa como você para esperar que alguém que quase te matou seja apenas "alguém muito confuso"!
- Eu sei, eu preciso ser rancoroso e agressivo que nem você, certo?!
- Exatamente! Eu te garanto, toda essa demonstração de "masculinidade" deixa as pessoas excitadas! - respondeu Guilherme, com a sua caricata expressão sedutora.
- Gui, será que você consegue falar de algo que não seja você e as suas técnicas para seduzir outras pessoas?! - disse Enzo, rindo - Olha, eu vou fingir que você nem disse isso, para o bem do seu relacionamento!
- Eu estou brincando! Eu admiro muito que você seja assim! Eu sou incapaz de perdoar até a pessoa que não sai da minha frente na rua, quando eu estou com pressa!
- Ai Gui, você não existe!- É sério! Você é uma pessoa muito generosa! Isso é uma qualidade muito importante! Eu só fico preocupado, nessa situação, porque ele meio que já tentou te matar... mas eu espero, de coração, estar errado e que ele seja uma pessoa confusa, como você disse. Assim, quem sabe um amigo tão bom quanto você possa o fazer ser mais centrado e menos estanho...ou, você sabe... homicida!
- Obrigado Gui! Mas para de me elogiar, porque eu não quero ficar convencido igual a você!- Acho difícil! Mas eu vou continuar tentando te corromper!

Enquanto isso, Daniel estava saindo de uma aula na UFTU e estava a ponto de mandar uma mensagem para Enzo, a fim de encontrá-lo na Snacks. Porém, foi surpreendido por Lucas, o qual o abordou em um dos corredores da universidade.

- Daniel... Eu li a sua mensagem e... bem, eu queria muito poder me explicar...
- Eu não sei se eu estou com paciência para te ouvir agora Lucas... me desculpe, mas eu estou furioso com você e eu acho que não é a melhor hora para isso!
- Eu só preciso de 5 minutos... por favor!- Eu acho melhor você ter uma boa explicação Lucas! Você tem 5 minutos, que é o tempo que eu chego até a Snacks.
- Tudo bem... - disse Lucas, enquanto andava ao lado de Daniel pelos corredores da UFTU - Olha Daniel, eu... cara, eu nem sei o que dizer...
- Começou mal! - Interrompeu Daniel.
- Desculpe, você tem razão - respondeu Lucas - Eu vou direto ao ponto! Eu...por alguma razão estranha, estava com ciúmes da sua relação com o Enzo...
- Escuta - disse Daniel, parando - Isso ainda não é uma boa razão para o que você fez, então, se você realmente não tem nada melhor do que isso para dizer, eu acho melhor encerrarmos essa conversa!
- Por que você está me tratando assim Daniel? - disse Lucas, visivelmente surpreso - Eu achei que fôssemos amigos novamente!
- Lucas, você nÃO PODE - Daniel parou um instante, respirou fundo e continuou - Desculpe, eu não queria me exaltar... você não pode tentar matar o meu namorado e esperar que eu continue sendo seu amigo! Melhor dizendo, você não pode agir dessa forma com qualquer pessoa e realmente esperar que eu aja normalmente! Isso é algo muito, muito sério! Você tem muita sorte pelo fato de que o Enzo não vai prestar queixa!
- Lá vai você, novamente, fugindo de uma situação que você mesmo criou! - Lucas estava visivelmente irritado - Eu já devia esperar isso de você! Você vai se arrepender de entrar na minha vida de novo, só para poder me humilhar e me deixar sozinho, mais uma vez! - Dito isso, o rapaz virou as costas para Daniel e saiu andando, sem esperar resposta.

Daniel continuou o seu caminho em direção à Snacks, mas não conseguia tirar da cabeça o que Lucas havia dito e o modo como ele parecia, genuinamente, ferido pelo modo como havia sido tratado. Ao chegar à lanchonete, ele avistou Enzo e Guilherme conversando, o que o fez perceber que havia se esquecido de mandar a mensagem para o noivo.

- Oi amor! - disse ele, aproximando-se da mesa onde Enzo estava - Eu ia te chamar para almoçar aqui comigo, mas acabei esquecendo! Ainda bem que você está aqui!
- Gui, o que você acha? - respondeu Enzo, dirigindo-se a Guilherme - Devo perdoar o meu noivo por me esquecer dessa forma?
- Olha, tudo o que eu posso dizer é que eu jamais esqueceria de você assim! - respondeu Guilherme com um sorriso malicioso no rosto - Mas hoje em dia já não produzem namorados como antigamente!
- Em primeiro lugar, cala a boca Guilherme! - disse Daniel rindo - Em segundo lugar, você não é tão mais velho do que eu! Em terceiro lugar, eu tenho uma razão muito boa!
- Bem, nesse caso, vamos ouvir o que você tem a dizer e depois eu darei um veredito, com a ajuda do Gui! - disse Enzo.

Dessa forma, Daniel se juntou aos dois rapazes e, brevemente, contou sobre o que tinha acontecido mais cedo com Lucas.

- Meu veredito é absolvido! - disse Guilherme - Eu também ficaria fortemente perturbado pelo fato de alguém que tentou matar o meu namorado utilizar a palavra "arrepender" uma conversa.
- Sim! Totalmente absolvido! - acrescentou Enzo - O Lucas me surpreende mais a cada dia! Eu acho que ele precisa de ajuda profissional séria!
- Eu concordo! Eu sei que realmente o tratei de forma ríspida, mas ele agiu como se o que ele fez não tivesse qualquer relevância na conversa!
- Eu tenho uma sugestão - intrometeu-se Guilherme - Acho que vocês deveriam conversar com os colegas de classe dele! Talvez isso ajude a descobrir como ele age com outras pessoas! Aí poderemos dizer se ele é estranho só com vocês dois ou com todo mundo!
- Essa é uma ótima ideia Guilherme! - disse Daniel - Eu posso ir até o bloco dele no intervalo de alguma aula.
- Cuidado para ele não te ver e descobrir todo o nosso plano! - disse Enzo.
- Que plano amor?! - perguntou Daniel, confuso.
- Aquele que vamos bolar, já que agora vamos espionar o Lucas! Estou muito animado!
- Amor, você precisa para de ver filmes de espionagem! - acrescentou Daniel, rindo - Mas, mudando um pouco de assunto, o meu pai pediu para te dizer que vai contratar um detetive particular para investigar o que aconteceu na sua casa, pois ele não confia muito no trabalho da polícia nesse caso. Segundo ele, eles só iriam investigar o caso a fundo se alguém tivesse sido seriamente ferido ou se nós oferecêssemos pistas mais concretas que levassem ao autor do crime! Como esse não é o caso, eles provavelmente nem vão investigar nada.
- O seu pai está sendo tão generoso amor! - respondeu Enzo - Eu já agradeço muito o fato dele ter contratado um advogado para lidar com o processo contra o cara que nos atropelou e agora ele também vai lidar com isso!
- Sim! Isso é porque ele gosta muito de você amor! Quem diria né?!
- Eu acho muito legal que o seu pai tenha aceitado o, Enzo tão bem! - disse Guilherme - E, por falar no atropelamento, como anda esse processo?
- Eu acho que no próximo mês haverá uma audiência para decidir a pena - respondeu Daniel - O cara está sendo cooperativo e até tentou entrar em contato com o Enzo, mas o advogado nos aconselhou a evitar qualquer contato até o julgamento.

Os três permaneceram na Snacks, conversando sobre diversos assuntos, incluindo o "plano" de Enzo. Porém, Daniel precisou sair, pois teria outra aula no turno da tarde.

- Foi muito bom almoçar com vocês, mas eu preciso muito assistir essa aula! - disse ele, levantando-se.
- Por incrível que pareça, eu também apreciei a sua companhia Daniel! - disse Guilherme.
- Que bom, mas eu ainda não confio em você perto do meu namorado! - respondeu Daniel - Então não esqueça que eu estou sempre de olho em você! - Dito isso, ele inclinou-se em direção a Enzo e o beijou - Amor, depois da aula eu vou até a casa do Fábio, pois vai ter uma pequena celebração do aniversário dele. Você quer vir?
- Não amor, eu estou um pouco sem disposição para eventos sociais... Mas espero que você se divirta! Onde vai ser?
- Vai ser em Pirapora, então eu vou dormir por lá! Eu também estou sem disposição para eventos sociais, mas preciso me enturmar! - disse Daniel - Então eu te vejo amanhã, tudo bem?
- Tudo bem, cuidado na estrada! - alertou Enzo.
- Eu vou tomar sim! Afinal, eu acabei de noivar e não quero te deixar tão cedo! - respondeu Daniel - Bem, eu preciso correr ou vou chegar atrasado! Até mais!
- Não conta para ele, mas eu estou começando a simpatizar com o Daniel - disse Guilherme, depois que o rapaz tinha ido embora - Eu acho que ele te faz bem!
- Eu também acho que ele me faz bem - respondeu Enzo - Sabe, eu não achei que voltaria para ele, depois de, você sabe... todo aquele lance que rolou entre nós... Mas eu senti que deveria dar uma segunda chance a ele e, até agora, ainda me arrependi disso!
- Eu entendo - disse Guilherme - Essa deve ter sido uma decisão muito difícil, pois eu sei que você não perdoaria o que ele fez, a menos que você achasse que isso não é um padrão.
- Você me conhece muito bem Gui! De fato, eu não acho que isso seja um padrão que nos levará a uma relação abusiva, por isso voltei com ele! O Daniel é um ótimo namorado e uma boa pessoa, então eu acho que ele merece uma segunda chance! Porém, se eu estiver completamente enganado e ele se tornar abusivo dentro da nossa relação, eu o deixo para sempre e sigo com a minha vida! Sei que tenho bons amigos com quem posso contar para me apoiar!
- Espero que você não esteja enganado! Eu jamais quero te ver sofrer daquela forma novamente!
- Obrigado Gui! E por falar em relacionamentos, como andam as coisas entre você e o Pietro?
- Elas estão, surpreendentemente melhor! - respondeu Guilherme, animado - Eu já gostava muito dele antes de descobrir que tenho o HIV, mas agora eu nem sei expressar o quanto eu...
- O ama?! - disse Enzo, surpreso.
- Sim! Eu acho que o amo! - respondeu Guilherme, também surpreso - Meu Deus, eu o amo! Isso é... é tão estranho, eu acabei de perceber isso agora!
- Nossa! Quem diria Gui?! Você está apaixonado, de verdade, por alguém!
- Eu sei! Isso é tão estranho! - disse Guilherme, ainda processando o fato - Quero dizer, eu sei que eu gosto muito dele, já que escolhi namorar com ele, o que já é um grande passo! Mas eu não diria que amava todas as pessoas com quem me envolvi! Sempre foram casos muito mais físicos do que emocionais! E com o Pietro é justamente o contrário! O sexo é incrível, mas o que realmente me atrai nele é o modo como ele enxerga o mundo e como ele lida com as pessoas! Eu acho ele uma pessoa incrível e o modo como ele me aceitou só confirmou isso! Eu acho que estou ficando velho e quero uma relação diferente das que eu já tive até agora! Eu quero um companheiro de vida e acho que o Pietro pode ser essa pessoa!
- Você não sabe o quanto me alegra saber disso! Vocês dois são meus melhores amigos e eu fico muito feliz que as coisas estejam dando certo entre vocês!
- Eu também! - disse Guilherme, sorrindo - Eu confesso que não achei que a nossa relação fosse durar no começo! Eu gosto de passar o tempo ao lado dele, mas não imaginava que ia acabar me apaixonando!
- Eu tenho certeza que ele é a pessoa certa para te ajudar nesse momento tão difícil Gui! O Pietro é uma das pessoas mais sensíveis e companheiras que eu já conheci! Eu aposto, que apesar do choque inicial, o fato de você ter HIV não fez ele gostar menos de você!
- Eu concordo, ele vem me tratando como se nada tivesse mudado! - pontuou Guilherme - E quanto a você? Já pegou os resultados do exame?
- Ainda não - respondeu Enzo - Eu tinha até esquecido disso, depois de tudo o que vem acontecendo. Mas eu vou ligar para a clínica hoje ou amanhã.

Às três da tarde Guilherme deixou Enzo em casa. Enquanto isso, Daniel estava saindo da UFTU, em direção à sua casa e teve a impressão de ver o mesmo carro da noite passada bem atrás dele. Porém, novamente, o carro seguiu um caminho diferente do dele. Quando chegou em casa, o rapaz se arrumou de forma rápida e saiu em direção a Pirapora, que ficava a duas horas de carro de São Patrício.
Daniel não conhecia muitas pessoas na festa, já que Fábio era uma das poucas pessoas com quem ele falava na sua atual turma da faculdade. Às onze horas, apesar do que ele tinha dito a Enzo, ele decidiu que voltaria naquele mesmo dia para São Patrício, pois não estava se sentindo à vontade na casa de Fábio, que apesar de o ter recebido muito bem, não tinha lhe dado muita atenção durante a festa. Assim, ele rumou de volta para a sua casa, sem se importar com o horário, já que no outro dia, excepcionalmente, ele não precisaria acordar cedo, pois não teria aula.
A rodovia estava pouquíssimo movimentada naquele horário e, exceto por alguns caminhões que eventualmente cruzavam o seu caminho, Daniel estava sozinho na estrada. Porém, a partir de certo trecho Daniel notou um carro preto atrás dele e, novamente, o alerta de Enzo ecoou em sua cabeça. Desse modo, ele parou o carro no meio-fio, como havia feito na noite anterior. Entretanto, para a sua preocupação, o outro carro também parou e ele pôde notar que se tratava de um Corsa preto, cuja placa estava coberta. Assim, com o coração fortemente acelerado, ele ligou o carro novamente e voltou à sua jornada para casa. O outro carro, prontamente, começou a se mover de novo, o que confirmava as suas suspeitas de estar sendo seguido. Assim, Daniel pisou no acelerador e, enquanto isso, pegou o celular e discou para a polícia. Ele explicou o que estava ocorrendo e a provável rota que seguiria até a sua casa, que ficava na zona oeste de São Patrício. O rapaz tentou ligar para Enzo enquanto o Corsa preto continuava a segui-lo em alta velocidade, porém a ligação estava sendo encaminhada diretamente para a caixa postal. Em seguida, ligou para o pai, o qual atendeu apenas na segunda tentativa:

- Alô...
- Pai! Graças a Deus! Eu acho que tem alguém me seguindo! É um corsa preto e... pai?
- Daniel, a...ação...ruim...
- PAI! CONSEGUE ME OUVIR?!
- Agora sim. O que aconteceu meu filho?!
- Pai, eu acho que a pessoa que jogou a pedra na casa do Enzo está me seguindo! Parece ser o mesmo carro que os vizinhos descreveram!
- Meu Deus! Onde você está meu filho? Já ligou para a polícia
- Eu estou na Br pai! Eu já liguei, mas estou com medo de que ele faça alguma coisa antes de alguma viatura chegar aqui!
- Mas o que...

A ligação caiu e quando Pedro tentou retornar não obteve resposta. Depois de vinte minutos tentando ligar para o celular do filho, Pedro conseguiu falar com alguém, mas não era Daniel. Um policial estava falando do outro lado da linha e ele tinha péssimas notícias. Aparentemente, o carro de Daniel havia derrapado na estrada e ele havia desmaiado, por isso estava sendo levado para o pronto-socorro municipal. Mesmo extremamente abalado, Pedro orientou o policial a mandar a ambulância para o Hospital Ibero-Brasileiro, para onde ele se dirigira logo que desligou.
Quando estava a caminho do hospital, ele recebeu uma ligação de Enzo, o qual estava preocupado porque não conseguira falar com Daniel. Pedro informou ao rapaz o que havia acontecido e para onde o filho tinha sido levado. No hospital, ele teve outra surpresa ao encontrar Frida na recepção.

- Frida?! - disse Pedro, visivelmente surpreso - O que você está fazendo aqui?
- Seu Pedro - disse ela enquanto o abraçava - Eu estava dirigindo pela Br vi o carro da polícia. Eu estava em dúvida e não queria acreditar que pudesse ser ele, mas então vi o Daniel sendo retirado do carro!
- Você o viu? - disse Pedro alarmado - Como ele está?
- Eu o vi muito rapidamente, pois eles o colocaram na ambulância! Eu os segui até aqui e eles me disseram que não foi nada grave, eles só precisam fazer alguns exames para se assegurarem de que tudo está realmente bem como ele!

Pedro e Frida ficaram esperando, sem qualquer outra notícia, por meia hora, até que Enzo e os pais adentraram a sala de espera. Quando avistou quem estava ao lado do sogro, o rapaz ficou bastante surpreso.

- Frida?!
- Oi Enzo... - disse ela, olhando para a cadeira de rodas - como você está?
- Vivo - respondeu ele, sem acrescentar mais nada.
- Isso é bom...
- A Frida estava perto do local do acidente - Interpôs-se Pedro - Ela foi a primeira a chegar aqui.
- Que conveniente! - disse Enzo.
- Como assim? - perguntou Frida, confusa.
- Nada... bem, você se importa de nos dizer que tipo de carro você estava dirigindo? - respondeu Enzo.
- Um Uno vermelho, por quê?
- Esquece, só curiosidade.
- Espera, você está insinuando que Frida poderia ter algo a ver com isso Enzo? - perguntou Pedro, perplexo.
- Sinceramente Seu Pedro, eu poderia esperar qualquer coisa dela... - respondeu Enzo - Mas isso não vem ao caso! Como está o Daniel?
- Ele está bem meu filho... - respondeu Pedro - Mas... você não acha que essa é uma acusação muito forte de se fazer?
- Bem, vamos lá: a Frida, caso o senhor não saiba, era a minha melhor amiga na faculdade, mas, desde que eu comecei a namorar com o Daniel, ela já me expôs a uma humilhação pública na universidade, já enviou mensagens com teor falso para o Daniel a meu respeito e, mesmo sabendo que algo estava errado quando o Daniel reatou com ela, não fez nada para saber o porquê. Então, com todo respeito seu Pedro, quando eu digo que espero qualquer coisa dela, eu realmente quero dizer isso e, respondendo à sua pergunta, eu não acho que a minha acusação seja tão absurda, quando se trata dela. Mas, como ela mesma já disse, o carro dela é um Uno vermelho e não bate com a descrição do carro da pessoa que fez isso.
- Olha aqui Enzo... - iniciou Frida.
- Nem começa, eu não quero ouvir - interrompeu Enzo - Seu Pedro, nós podemos vê-lo ou precisamos esperar?
- Disseram na recepção que precisamos esperar e, assim que ele tiver condições de receber visitas, nós seremos avisados.
- Entendi. Bem, eu peço que o senhor me desculpe Seu Pedro, mas eu preciso dar uma volta. Eu não conseguirei ficar aqui sentado, esperando! Mas, por favor, se o médico chegar e eu não estiver aqui, me avise! - dito isso, Enzo saiu manobrando a sua cadeira de rodas.
- Err... Frida - disse Pedro, assim que Enzo saiu - Você fez tudo isso mesmo?
- Sim... mas eu estou arrependida... eu juro! - Frida começou a lagrimar.
- Tudo bem minha filha, eu acredito em você - respondeu Pedro, abraçando a garota.

Enquanto Enzo percorria os corredores do hospital, ouviu o celular tocar e na tela identificou que era Pietro:

- Oi Enzo! Eu vi a sua mensagem sobre o Daniel! É muito grave? Como ele está?
- Eu ainda não sei - respondeu o rapaz - Eles ainda não deixaram ninguém vê-lo, mas, aparentemente, eles está bem. Isso me deixa muito nervoso, porque preciso muito ver como ele está por mim mesmo! Pra piorar tudo a Frida está aqui!
- O que?! - Exclamou Pietro - O que ela está fazendo aí?!
- Aparentemente, ela estava no local do acidente ou algo assim... Eu não quis nem escutar o que ela tinha a dizer! Essa garota me tira do sério só de olhar pra ela! Eu não consigo nem acreditar que nós já fomos melhores amigos! Como as coisas podem mudar tão drasticamente assim?
- Eu sei como você se sente! Não tem nada mais importante do que amizade para mim, exceto minha família, é claro! A traição de um amigo, pra mim, seria mais dolorosa do que a do meu próprio namorado!
- Exato! Eu sei que as coisas foram meio complicadas, mas eu nunca planejei "roubar" o Daniel dela! Eu pedi desculpas inúmeras vezes... Mas, de qualquer forma, um garoto não deveria ficar entre a nossa amizade e, principalmente, uma amiga de verdade nunca faria as coisas que ela fez... Bem, isso são águas passadas... obrigado por me fazer companhia pelo celular, eu estava precisando de alguém pra conversar!
- Você sabe que sempre pode contar comigo! Você quer que eu vá até aí pra te fazer companhia ao vivo? O HIB é bem perto de casa!
- Não precisa Pietro! Está tarde e eu não incomodar!
- Deixa disso! É muito perto! É 5 minutos de carro!
- Você tem certeza? 
- Já estou até me arrumando aqui. Te vejo daqui a pouco!

Ao desligar o celular, Enzo se surpreendeu ao notar que Frida estava atrás dele.

- O que você está fazendo aqui? - disse Enzo - Você ouviu a conversa?
- Eu vim conversar com você e... bem, eu não quis interromper...
- Não me surpreende que você ouça a conversa alheia... bem, não importa, o que você quer?
- Conversar... eu só não sei como...
- Olha, não precisa fazer isso! Nós podemos estar no mesmo lugar e não nos falarmos! Sério!
- Eu, realmente, era sua melhor amiga, né?
- Era... era sim... e eu agradeço pelo tempo que passamos juntos. Mas eu não te conheço mais, você era uma pessoa legal no passado, mas... bem, não mais...
- Eu...
- Olha, eu estou passando por muita coisa ultimamente, não que isso seja do seu interesse, mas eu, de verdade, não quero ter essa conversa agora... - Enzo, simplesmente, seguiu de volta para a sala de espera com Pedro.

Os três trocaram poucas palavras, esperando para saber mais notícias de Daniel. Pouco tempo depois, Pietro chegou, cumprimentando todos, exceto Frida. 

- Oi Pietro! Como você soube que estávamos aqui? - indagou Pedro.
- Eu avisei Seu Pedro. Nós estávamos conversando pelo celular e ele se ofereceu para vir me fazer companhia enquanto esperamos por alguma notícia.
- Isso mesmo! Eu moro aqui pertinho e eu sei que essa espera pode ser massacrante, então vim fazer companhia até darem alguma notícia.

Cerca de uma hora se passou até que o médico de plantão viesse falar com eles.

- Boa noite! Eu sou o Dr. Mário Gomes, eu peço desculpas pela demora, mas nós estamos no meio de uma noite, surpreendentemente, mais agitada que o normal. Vocês são familiares de Daniel Santos Galvão?
- Oi! - Pedro praticamente pulou da cadeira - Eu sou o pai dele e estes são amigos do meu filho! Como eles está?
- Bem, o paciente está estável e não houve dano grave. Entretanto, houve fratura em 3 costelas e um hematoma na cabeça, causados pelo trauma, por isso nós pretendemos mantê-lo em observação por 24h para ter certeza de não haver hemorragia interna ou qualquer dano aos órgãos internos. Como ele está estável e consciente, eu vou liberar a entrada de duas pessoas, porém, de antemão, aviso que ele pode estar experimentando inchaço, dor no peito e dor na cabeça, portanto eu peço que sejam breves, para que ele não se esforce demais e para que possa descansar e se recuperar. Então, quem irá entrar?
- Vamos eu e você, certo Enzo? - disse Pedro.
- Vamos sim Seu Pedro! Mal posso esperar pra vê-lo!

Os dois seguiram o médico até a sala onde estava Daniel. Quando chegaram no local, o rapaz disse, com voz fraca:

- Pai... Enzo... Que bom ver vocês!!
- Meu filho!! Como isso foi acontecer?!
- A última coisa que... eu lembro é... estar falando com você e o carro... bem, o carro que estava... me seguindo... bateu na minha lateral... Eu... Eu não sei o que aconteceu depois disso...
- Você deve ter batido a cabeça meu amor! - disse Enzo, aproximando-se de Daniel e pegando a mão direita do rapaz - Parece que o seu carro capotou, então você deve ter batido a cabeça e ficado inconsciente! Eu fico tão feliz que nada de pior aconteceu com você!
- Eu estou... bem, certo Doutor?
- Sim Daniel! A priori, não encontramos nada de grave nos seus exames, mas vamos manter você aqui sob observação por, pelo menos, 24h!
- Tudo bem... eu acho... - Daniel estava, visivelmente, muito cansado.
- Bem meu filho, nós só queríamos ver e falar com você, para saber como você estava se sentindo - disse Pedro - Mas vamos deixar você descansar e, mais tarde, estaremos aqui novamente, quando você acordar, tudo bem?
- Parece b... - Daniel bocejou lentamente - ...bom! Parece bom!
- Descanse meu amor! De manhã nos vemos novamente! - acrescentou Enzo.

Quando saíram da sala, Enzo notou que Pedro estava com uma expressão distante.

- Vai ficar tudo bem Seu Pedro - disse o rapaz.
- Eu sei... É só que... Ele parecia meio confuso, você não achou?
- Sim, eu notei... Mas, provavelmente, ele ainda está se recuperando do acidente, ou então está sob efeito de algum remédio, afinal o médico disse que ele pode estar sentido dores. Vamos deixar para nos preocupar amanhã, quando ele estiver mais descansado.
- Você está certo Enzo! Agora eu vejo o porquê do Daniel sempre dizer que você é o mais calmo da relação! Só mais uma coisa - Pedro parou Enzo e falou em tom mais baixo: - Você realmente acha a Frida tem algo a ver com isso?
- Aparentemente não...
- Mas, por que você falou aquilo quando chegou?
- Eu não confio mais na Frida! Ela já fez coisas que eu nunca imaginaria contra mim, então eu sempre me mantenho alerta quando ela está por perto! Mas, neste caso, parece que ela não tem nada a ver com o acidente... Eu peço desculpas por levantar essa suspeita, eu devia estar cansado, irritado, com medo... eu não sei... talvez eu tenha sido injusto com ela neste caso...
- Bem, nesse caso vamos voltar para a sala de espera e avisar a ela como o Daniel está.

Após Enzo e Pedro contarem sobre a breve conversa com Daniel, os quatro decidiram que era hora de irem para casa.

- Você precisa de uma carona Enzo? Eu sei que a sua casa é longe daqui! - disse Pedro.
- O senhor deve estar cansado, talvez seja melhor que o Enzo durma em casa, assim mais tarde ele pode vir direto pra cá! Acho que seria bem menos cansativo pra todos - propôs Pietro.
- Eu concordo. Obrigado por oferecer Seu Pedro, mas a proposta do Pietro, realmente, parece menos cansativa pra todos!
- De acordo então. De fato, estou muito cansado. Bem, nos vemos amanhã, certo?
- Sim, estarei aqui assim que acordar! Caso o senhor chegue primeiro, me avise sobre como ele está e eu farei o mesmo, caso chegue primeiro.

Assim, Enzo seguiu com Pietro para a casa do rapaz. No carro, ele indagou sobre a vida do amigo:

- Nem tive tempo de perguntar, mas como estão as coisas entre você e o Gui?
- Ah amigo, elas estão ótimas! Mas ele anda agindo meio diferente...
- Diferente como?
- Eu não sei... Ele fica muito pensativo em alguns momentos, quando estamos juntos, mas sempre diz que não é nada. Ontem, por exemplo, ele estava em casa e nós... você sabe...
- O que? Estavam transando? Como foi?
- Enzo!! - exclamou Pietro, fortemente corado.
- O que?! Você precisa se soltar! Somos amigos e eu tenho direitos de amigo sobre qualquer fato quente da sua vida! - disse Enzo rindo.
- Olha, não lembro de ter assinado nada que lhe dê tais direitos - respondeu Pietro rindo - Mas, sim, nós estávamos fazendo isso e, depois, quando estávamos deitados, ele ficou vários minutos olhando pra mim e eu tive a sensação que ele ia dizer algo, mas desistiu. Eu fico preocupado! Será que ele vai terminar comigo? Você que já namorou com ele, o que acha disso?
- Em primeiro lugar, quando nós namoramos, ambos éramos pessoas completamente diferentes! Mas uma coisa é certa, o Gui sempre foi uma pessoa muito direta! Acredite, se ele quisesse terminar com você ele simplesmente o faria, sem enrolação! Afinal, ele tem muita prática de término de namoro! Em compensação, o Gui tem, surpreendentemente, pouca experiências com relações mais duradouras, então talvez ele não saiba muito bem como agir em determinadas situações. Em segundo lugar, você é louco? Quem em sã consciência terminaria um namoro com você?! Sério, você é uma pessoa incrível! Ninguém te deixaria escapar e o Gui sabe disso, por isso ele já te fisgou - finalizou Enzo, imitando a ação de pescar.
- Bem... você me deixou até sem palavras! - disse Pietro rindo - Obrigado amigo, eu vou levar isso em consideração e tentar não pensar besteiras.

Pouco tempo depois de chegarem na casa de Pietro, os dois rapazes estavam dormindo, visto que ambos estavam bastante cansados. Na manhã seguinte, Enzo acordou se sentindo mais relaxado e, quando olhou a hora no celular, viu que eram 9:00 da manhã e que havia uma mensagem de Pietro, o qual não estava no quarto.

"Oi amigo, eu tinha aula hoje cedo e não quis te acordar. Espero que tenha conseguido descansar. Provavelmente não vai ter ninguém em casa quando você acordar, pois todos saem cedo, mas fique à vontade para atacar a geladeira e pegar uma roupa limpa no armário (vou querer de volta, viu?! haha) ;). Deixei minha chave pra você, depois da aula eu pego, quando for ao hospital"

Também havia uma mensagem de Pedro, enviada 6:00: "Oi Enzo. Estou no hospital! O Daniel... algo aconteceu com ele! Eu não entendi direito, mas ele está em cirurgia agora!

Enzo, rapidamente, leu e respondeu às mensagens, tomou banho e saiu. O rapaz, literalmente, correu até o hospital. Quando chegou no local, encontrou Pedro na sala de espera, conversando com o médico.

- O que aconteceu Seu Pedro?
- Ah Enzo! Que bom que você chegou - disse Pedro abraçando o rapaz - O médico estava a ponto de me explicar o que aconteceu!
- Bem... - disse Dr. Mário Gomes - algo aconteceu durante a noite. Notamos que Daniel estava... lento, até mesmo um pouco desorientado quando vocês o visitaram... com ações
- Sim! Nós notamos também! - respondeu Pedro - O que isso quer dizer?
- A princípio, achamos que ele só estava cansado, mas decidimos pedir uma tomografia computadorizada e identificamos algo... uma pequena hemorragia no cérebro do paciente! Precisávamos realizar uma cirurgia para interromper o sangramento e, felizmente, conseguimos. Porém, no momento, precisamos esperar para saber se houve algum dano decorrente dessa hemorragia. Ainda não temos como saber algo mais preciso, até que ele acorde. Isso pode levar algum tempo.
- Espera, ele está em coma? - perguntou Enzo.
- No momento não, mas essa é uma possibilidade... O corpo dele precisa se recuperar do dano causado pelo acidente e da cirurgia em si. Mas eu posso lhes afirmar, que, felizmente, nós detectamos a hemorragia bem cedo. Estamos muito confiantes de que o Daniel não sofrerá grandes danos! Eu preciso ver outros casos, mas tenham certeza de que lhes manterei bem informado - dito isso, o médico se retirou.
- Enzo, diga a verdade, isso é grave ou não? O médico não foi muito claro! - indagou Pedro.
- Seu Pedro, é como ele disse, não temos como saber até que o Daniel acorde. Mas eu espero que não! Uma hemorragia no cérebro é algo complicado, mas o fato de ter identificado logo é um bom indicador de que o Daniel possa ficar bem, sem sequelas.
- É tão frustrante ter que esperar!
- Se quiser, eu posso ficar aqui! Eu sei que o senhor pode ter coisas pra resolver e, de qualquer forma, precisamos esperar. Então, pode ir trabalhar e eu fico aqui! Eu prometo que aviso sobre qualquer novidade!
- Você tem certeza? Você não precisa de companhia? Eu sei que tudo isso deve ser estressante pra você!
- É uma situação muito estressante sim, mas eu vou ficar bem. Além disso, o Pietro vem ficar comigo depois que sair da aula!
- Então tudo bem. Mas me avise se precisar de algo ou se tiver alguma novidade!
- Com certeza Seu Pedro!

As horas passaram devagar para Enzo. Enquanto esperava por uma novidade no quadro de Daniel, muitas coisas passavam pela sua cabeça. A despeito de todos os seus esforços para se manter calmo, o turbilhão de pensamentos lhe levou ao choro, pois temia perder Daniel.

- Ei! Tudo vai ficar bem - disse Pietro, o qual tinha chegado sem que Enzo percebesse - Eu vi a sua mensagem! Houve complicações no quadro do Daniel, mas, de qualquer forma, ele ficará bem! Vocês dois ainda tem muito tempo juntos pela frente! Tenho certeza que vão poder concretizar esse casamento!
- Obrigado pelo apoio Pietro! Eu já estava pirando aqui sozinho! - respondeu Enzo, abraçando Pietro.
- Ei, assim eu fico com ciúmes! - disse Guilherme, abraçando os dois.
- Gui! Você veio! - exclamou Enzo, surpreso.
- É claro que eu vim! Você acha que eu ia deixar meu melhor amigo sozinho em uma situação dessa? - respondeu Guilherme - Eu só não vim ontem porque acabei dormindo muito cedo e só vi a sua mensagem de manhã!
- O importante é que você está aqui! Vocês dois! Nossa, eu não aguentava mais nenhum segundo sozinho com os meus pensamentos! É horrível! Eu queria ter um bloqueador de pensamentos!
- Você sabe que... - iniciou Guilherme.
- ... o melhor remédio para pensamentos ruins é ir pra cama com alguém! - interromperam Pietro e Enzo em uníssono.
- Sim, todos sabemos da sua teoria de que não há nada que não se resolva com sexo - respondeu Enzo, rindo - Mas, infelizmente, o meu parceiro está, momentaneamente, impossibilitado!
- Bem, eu estou sempre à disposição para uma boa causa! - disse Guilherme, com um sorriso malicioso.
- Ei!! - exclamou Pietro indignado - Como assim?
- Pietro, você precisa ser mais generoso! É por uma boa causa - respondeu Guilherme com uma expressão cínica no rosto.
- Se você quer outra pessoas, por que está comigo? - indagou Pietro.
- Por que eu... - Guilherme iniciou a frase.
- Você o que Gui? - Enzo encorajou.
- Eu te amo - finalizou Guilherme, com um sorriso no rosto.
- Você... espera... era isso o que você queria me dizer ontem? - perguntou Pietro.
- Sim! É que... - Guilherme estava corando - Eu não tenho muita experiência com essas coisas!
- Espera! Gui, você está corando?! - exclamou Enzo - Ele está corando Pietro! Meu deus, em todos esses anos eu nunca vi o Gui corar!
- Você é tão idiota! Eu não sei o que fazer com você! - respondeu Pietro.
- Eu tenho algumas ideias - respondeu Guilherme, recompondo a sua expressão maliciosa e puxando o namorado para si.
- Vocês dois foram, realmente, feitos um para o outro! - disse Enzo - Um é a pessoa mais descarada que eu já vi e o outro a pessoas mais tímida que eu conheço! Fico tão feliz por vocês!
- E devemos tudo a você! Afinal, você nos deu um pé na bunda e fomos afogar nossas mágoas juntos! Então uma coisa leva à outra e cá estamos - respondeu Guilherme, rindo.
- Tudo bem, precisamos seriamente trabalhar na sua descrição de como vocês se conheceram! - disse Enzo - Em primeiro lugar, me tirem da história! - completou ele rindo.
- Mas é verdade! - interveio Pietro - Foi assim mesmo que aconteceu!
- Tudo bem, mas ninguém precisa saber! Além disso, parece que vocês são o prêmio de consolação um do outro e isso não é verdade! Vocês se amam porque se deixaram conhecer um ao outro e acabaram se apaixonando! Eu sou testemunha de tudo e é assim que eu vou contar a história para os meus afilhados!
- Que afilhados?! - exclamaram Guilherme e Pietro.
- Ora, os filhos de vocês! Os quais, obviamente, serão meus afilhados! - respondeu Enzo, decididamente.
- Com licença - disse Lucas, o qual, para a surpresa de todos, tinha acabado de entrar na sala de espera do HIB.
- Lucas?!! - respondeu Enzo, surpreso - O que você... como você?... Quem?
- O que o meu amigo está tentando dizer - interrompeu Pietro - é: o que vocês está fazendo aqui? Como você soube que estávamos aqui? Quem lhe disse que estaríamos aqui? Que horas você vai embora?
- Eu estou certo de que ele não disse essa última parte - disse Guilherme.
- Bem, mas ele estava a ponto de dizer, certo Enzo?
- Err... Eu acho que sim - Enzo olhava fixamente para Lucas - Mas eu acho que já sei o que ocorreu! Eu ainda não contei para o Seu Pedro sobre o "incidente" na piscina, então ele deve ter avisado o Lucas, pois, aparentemente, ele é um "amigo" da família!
- Foi isso mesmo - respondeu Lucas, propositalmente desviando o olhar dos demais.
- Olha, você pode ficar, desde que não faça ou diga algo estranho... - disse Enzo.
- O que?! - exclamou Pietro.
- Eu não quero fazer escândalos e, bem, ele já sabe que o Daniel está aqui mesmo.
- Eu vou ficar quieto... eu prometo... - respondeu Lucas - Como ele está?
- Ele está em recuperação! - disse Guilherme - Agora fique quieto e pare de nos dirigir a palavra!
- Por que vocês estão sendo tão rudes comigo? - questionou Lucas - Bem, eu sei que houve o "incidente" da piscina, mas eu já me desculpei por isso! Achei que estivesse tudo bem conosco!
- Lucas, não é assim que funcionam as relações! Você não pode quase deixar alguém morrer e no outro dia esperar que essa pessoa, que por sorte sobreviveu, fale com você normalmente! - disparou Guilherme - Viu?! É disso que estamos falando! Isso é estranho cara!
- Isso foi um erro, eu vou embora! - disse Lucas, levantando-se - Mas, primeiro eu gostaria de falar com você a sós Enzo... Posso?
- Você está louco! - respondeu Guilherme - É claro que não! O Enzo não vai ficar sozinho com você de novo!
- Espera Gui! Eu já sei o que fazer! - disse Enzo - Eu vou deixar ele na saída e ele pode conversar comigo enquanto isso!
- Enzo! - disse Guilherme - Tem certeza?
- Sim! - respondeu o rapaz - É melhor! Assim ele me deixa em paz! Vamos - concluiu ele, tocando a cadeia de rodas.
- Olha, eu vou ser breve - Lucas começou a falar, assim que os dois se afastaram de Pietro e Guilherme - Eu quero me desculpar de novo! Na verdade eu preciso pedir desculpas tanto a você como ao Daniel... eu pensei que ele estivesse consciente... ele deve ter te contado que eu reagi exageradamente à nossa conversa outro dia...
- Ele me contou sim... Olha Lucas, eu já canse de tentar te entender! Eu só não me sinto à vontade perto de você! Então eu agradeceria se você pudesse manter distância de nós! Espera, onde você está indo - perguntou ele ao ver Lucas dobrando para o estacionamento do hospital.
- Pegar o meu carro...
- Eu achei que você não tivesse carro! - disse Enzo, com expressão desconfiada - Pelo menos foi isso que você disse quando fomos à dos Seu Pedro!
- Ele é novo! Acabei de comprar...
- Que interessante... posso vê-lo?
- Claro... - Lucas conduziu Enzo até o carro, o qual, quando o rapaz viu o modelo e a cor do veículo, prontamente sacou o celular do bolso e enviou a seguinte mensagem para Pietro: SOS no estacionamento! Lucas tem um Corsa preto!


Anterior

10 comentários:

  1. ������ Amei...por favor assim que puder poste mais,obrigado

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus, continua o romance, por favor. Pq faz isso conosco. Simplesmente fascinado por seus romances!

    ResponderExcluir
  3. Por favor continua é muito perfeito �� please!!

    ResponderExcluir
  4. Por favor continua é muito perfeito �� please!!

    ResponderExcluir
  5. Porfavor mande o capítulo 8 de UM CONTO MEDIEVAL....

    ResponderExcluir
  6. por favor continue ta lindo perfeito demais pra acaba so ai me tonei mto fã dos teus romances.

    ResponderExcluir
  7. pelo amor de Deus continue a historia, estou morrendo de curiosidade para sabe u que vai acontece

    ResponderExcluir
  8. AS suas historias são perfeitas dignas de vira filmes

    ResponderExcluir
  9. Por favor continua é muito perfeito �� please!!

    ResponderExcluir
  10. Nossa! Linda história. Mas, continue, pelo amor de Deus.

    ResponderExcluir